(49) 4101-3030
·
[email protected]
·
Segunda à Sexta - 08h às 12h - 13h30 às 17h30
Contate um Mediador

INSS é multado pelo TRF-3 por não comparecer a audiência de conciliação

A 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região decidiu multar o INSS depois de a autarquia faltar uma audiência de conciliação. Os desembargadores entenderam que o artigo 334 do Código de Processo Civil obriga as partes a comparecer à audiência, e não apenas informar a falta de interesse em negociar, como fez a autarquia.
O INSS afirmou ser injusta a imposição da multa, fixada em 2{e1b54d9a6d9c3ba950d99c8b3fb7173e1ae1003154134ed83fb4d451d5e085b1} sobre o valor da causa, uma vez que, após ter sido intimado da designação da audiência, informou ao juízo o desinteresse na conciliação, dentro do prazo legal.
No entanto, o desembargador federal Wilson Zauhy, relator do caso, destacou que apenas informar a falta de interesse na conciliação não basta, se a outra parte também não o fizer.
Segundo ele, o novo CPC instituiu a indispensabilidade da audiência prévia de conciliação ou autocomposição, “só não ocorrendo quando o autor da ação manifestar, expressamente, em sua inicial, o desinteresse e o réu também manifestar o desinteresse no prazo de 10 dias anteriores à audiência”.
Caso contrário, ou seja, não havendo manifestação de ambas as partes (334, § 4ª, I), “a audiência será levada a termo e, na ausência de uma das partes, ou de ambas, injustificadamente, o ato torna legítima a imposição da multa”, que, segundo o desembargador, pode chegar a 2{e1b54d9a6d9c3ba950d99c8b3fb7173e1ae1003154134ed83fb4d451d5e085b1} do valor da causa “por ser considerado ato atentatório à dignidade da justiça (§ 8)”. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRF-3. 
Agravo de Instrumento 0000773-30.2017.4.03.0000
Fonte: Revista Consultor Jurídico, 23 de julho de 2017, 8h23
AdamNews – Divulgação exclusiva de notícias para clientes e parceiros!

O CMARB/SC tem por MISSÃO servir à sociedade na promoção de soluções pacíficas e eficazes de controvérsias, de forma extrajudicial, através da exaltação da razão, da liberdade, da vontade das partes e da cooperação, preservando e fortalecendo relacionamentos interpessoais e empresariais.

Related Posts

Leave a Reply